ERASMUS +

ERASMUS CAMP- Na Rota da Terra Fria Transmontana

Entre os dias 14 e 17 de junho, a Madalena, a Helena, o Daniel, a Inês, a Luísa e o Miguel, das turmas 10E1, 12E e 12B, acompanhados pelas professoras Maria Cristina Ruivo da Silva e Maria da Glória Torres d’Albuquerque, participaram na atividade ERASMUS CAMP e visitaram Gimonde, Rio de Onor e Bragança.

O principal objetivo da visita de estudo foi conhecer o património histórico-cultural e paisagístico da Terra Fria Transmontana e divulgá-lo aos nossos parceiros do projeto, porque o Parque Natural de Montesinho (área protegida com uma dimensão de cerca de 75 mil hectares) estava no nosso roteiro.

Começamos por Gimonde, uma das aldeias integradas no Parque, cujos atrativos turísticos se desdobram em várias vertentes – gastronómica, paisagística, arqueológica e monumental. Junto à Ponte Velha, uma ponte de origem românica, estava a famosa poldra e nós não resistimos à travessia apeada do rio.

Quarenta minutos de viagem separavam-nos da mais emblemática aldeia comunitária do Parque de Montesinho – Rio de Onor, vencedora, em 2017, das 7 Maravilhas de Portugal, na categoria de Aldeias em Áreas Protegidas. Chegamos, finalmente, e deparamo-nos com ruas estreitas de pedra ladeadas por casas de xisto de dois andares (algumas desabitadas e em ruínas), com varandas de madeira: o andar de cima, destinado à família, e o de baixo, ao gado e produtos agrícolas. A igreja de xisto, o forno comunitário, o moinho, a forja, o lavadouro, a Casa do Touro (casa-museu), a ponte romana e, uns passos à frente, a aldeia espanhola de Riohonor de Castilla.

Nesta comunidade, a palavra fronteira sempre significou união. Basta pensarmos que é o único povo com um governo e leis próprias. Os apelidos mais frequentes são «Preto» e «Prieto», no caso português e espanhol, respetivamente. O dialeto local, o rionorês, parece ser muito influenciado pela língua leonesa.

Já na antiga taberna da aldeia, agora transformada em loja de artesanato, encontramo-nos com o Sr. Bernardino Prieto que nos contou como se vivia na aldeia comunitária, onde todos os habitantes partilhavam terrenos agrícolas, rebanhos e forno e, assim, ajudavam-se uns aos outros, honrando a palavra dada. Na realidade, todos colhiam os benefícios, mas os que infringiam as regras comunitárias eram multados. Estas multas, normalmente, eram pagas em vinho e ficavam registadas na «Vara da Justiça».
Hoje em dia, com o envelhecimento da população e a desagregação da vida agropastoril, o comunitarismo em Rio de Onor está em vias de extinção. Cerca de meia centena de portugueses e uma dezena de espanhóis, quase todos idosos, vivem nas duas aldeias, porque os mais jovens partiram à procura de uma vida melhor. A grande esperança dos poucos habitantes de Rio de Onor reside, agora, no turismo.

Como «turistas» reservámos o último dia para a histórica cidade de Bragança, visitada por romanos, suevos e visigodos. Nós, mais uma vez, não resistimos a um passeio pedestre pelo centro histórico – Sé e diversos solares, edificados entre os séculos XVI e XVII – até ao antigo paço episcopal, o Museu Abade de Baçal, que nos permitiu contactar com coleções de arqueologia, de ourivesaria e de arte sacra.

Dirigimo-nos, depois, para o núcleo urbano mais antigo e para os monumentos mais conhecidos de Bragança, situados na Cidadela: a Igreja de Santa Maria  (séc. XIV), o Pelourinho medieval com uma invulgar porca na base, a Domus Municipalis (edifício do século XII que terá acumulado as funções de cisterna com a de local de reunião dos “homens bons”), o  Museu Ibérico da Máscara e do Traje, onde estão expostos os fatos e as máscaras das festas de inverno e de carnaval de Trás-os-Montes e Alto Douro e da província espanhola de Zamora, incluindo os famosos Caretos de Podence, o  Castelo e a sua torre de menagem  que integra o Museu Militar, fundado em 1932. O espólio do museu é constituído por peças doadas por militares que participaram em campanhas de África e de França, durante a I Guerra Mundial e pela coleção particular do Coronel António José Teixeira.         

Os dias passaram a correr e «aquele que retorna de uma viagem não é o mesmo que aquele que partiu», porque se viveram momentos de partilha de conhecimento e de afetos que temos de agradecer, também, ao senhor tenente-coronel José Fernandes pela sua disponibilidade, pelo seu apoio e pela forma como nos recebeu.                                                              
A Equipa Erasmus+

No decurso deste ano letivo o projeto Erasmus+ “PLANS” contou com a colaboração dos alunos da turma 12F2- Artes, na atividade  A thousand eyes are watching you.

Os alunos, Bianca Grave, Natacha Rodrigues e Rodrigo Calado contribuíram com produções artísticas para a atividade “CULTURE- a valuable tool to survive a global pandemic”. O reconhecimento da sua qualidade permitiu que fossem colocadas na página Web da escola alemã Europaschule Gymnasium der Stadt Kerpen e enviadas para publicação no facebook da Agência Nacional Alemã.

https://gymnasium-kerpen.eu/index.php/714-erasmus-plans-culture-a-valuable-tool-to-survive-a-global-pandemic

https://m.facebook.com/kmkpad/?locale2=de_DE

A criatividade e a qualidade foram aspetos realçados e elogiados por todos os parceiros e pela coordenadora alemã.

Aos alunos da turma 12F2 e à Professora Paula Gaio, os nossos agradecimentos.

A Equipa do Projeto ERASMUS+

Em reconhecimento pela qualidade do projeto Erasmus+ PLANS, a Agência Nacional Alemã convidou a coordenadora, a professora Estrella Lopez, a fazer a sua apresentação na Conferência Europeia online, que se realizou no dia 25 de fevereiro. 

As várias atividades do projeto têm sido realizadas de acordo com a planificação, cuja calendarização foi alargada até 31 de agosto de 2022, devido à atual situação pandémica. 

Aqui deixamos a apresentação que foi levada à Conferência.

A equipa de projeto Erasmus+,

Maria da Glória Torres d’Albuquerque

Maria Cristina Ruivo da Silva

João Carlos Fernandes Pinheiro 

 
A turma 12F2 participou na Comemoração do Dia da Europa.

A criatividade e a qualidade dos cartazes apresentados foram aspetos realçados e elogiados por todos os parceiros e pela coordenadora alemã.
Aos alunos da turma 12F2 e ao Professor Luís Reis, os nossos agradecimentos.

Os nossos agradecimentos:

  • Às alunas Matilde Valadas e Francisca  Bento pelos vídeos em que participam tocando o “Hino da Europa /Hino da Alegria” em flauta.

https://www.youtube.com/watch?v=vUG95l-Wn7M&feature=youtu.be

https://www.youtube.com/watch?v=JqFRN6F50Yo&feature=youtu.be

  • À Professora de Educação Musical, Carlota Godinho, que deu voz ao mesmo tema musical.

https://www.youtube.com/watch?v=IAUQ7gQKT80&feature=youtu.be

HINO DA ALEGRIA

Agrupamento de Escolas nº 1 de Abrantes, por terras de Andaluzia

Integrado no Projeto Erasmus+ “PLANS- Planning Learning Approaches for Nowadays Students”, os alunos Daniel Santos, Helena Damas, Inês Garcia, Luísa Balbino e Miguel Albino, acompanhados pelas professoras Carlota Godinho, Maria Cristina Ruivo da Silva e Maria da Glória Torres d’Albuquerque participaram, na semana de 17 a 21 de fevereiro, num encontro em Jamilena – Espanha, onde tiveram a oportunidade de contactar com colegas e professores da Roménia, República Checa, Espanha e Alemanha. Tratou-se da segunda mobilidade do projeto.

Este projeto aponta para o caminho da modernização da prática letiva pautado pelo desenvolvimento de aplicações em inglês, por novas metodologias de lecionação de conteúdos em língua (s) materna (s) e inglês (CLIL e PBL), pela articulação disciplinar e pela utilização de diversas e, algumas delas, inovadoras ferramentas digitais.

Ao longo da semana foram desenvolvidas várias atividades das quais se destacaram a apresentação de trabalhos dos alunos, realizados antes da mobilidade, o programa de rádio com a gravação de podcasts e a composição e gravação do hino do projeto.

A diretora do estabelecimento escolar de Enseñanza Secundaria SIERRA DE LA GRANA recebeu uma lembrança da parte do nosso Agrupamento, mais concretamente um lindo quadro alusivo à nossa cidade, criado pela aluna Margarida Horta, sob orientação do docente Luís Reis.

No âmbito do tema “Herança cultural” foi-nos proporcionada uma visita ao Alhambra, em Granada, e ao Castelo de Jaén.

As docentes presentes nesta mobilidade realçaram o elevado grau de participação dos cinco alunos envolvidos, o nível de empatia que os mesmos criaram com outros docentes, bem como com os colegas e respetivas famílias que os acolheram e a satisfação de verificarem como esta deslocação constituiu, de acordo com os testemunhos dos alunos, uma enorme e excelente experiência nas suas vidas.

Este encontro serviu, também, de base para a preparação de trabalhos que serão apresentados na “Semana da Europa” e no próximo encontro que se realizará na Roménia. 

 

2º Encontro – Projeto Erasmus +  
IES Sierra de La Grana
Instituto de Enseñanza Secundária JAMILENA (Jaén) Espanha